Guanandi É A Madeira Do Futuro

guanandi Guanandi É A Madeira Do Futuro

Guanandi

A primeira madeira de lei do Brasil, o Guanandi (Calophyllum brasiliensis), possui características específicas que o torna um ótimo empreendimento comercial nas áreas de reflorestamento e madeireiras, além de outras atividades que extraem dessa árvore sua matéria-prima.

Decretada em 7 de Janeiro de 1835, como uma madeira de lei esta se tornou referência na economia brasileira. A partir do decreto a espécie foi denominada como madeira nobre, ou seja, possui maior durabilidade natural, bom aspecto e elevada estabilidade em todos os sentidos.

Características gerais:
Nome popular: Guanandi, Olandi ou Jacareúba.
Nome científico: Calophyllum brasiliensis
Floração: Setembro – Novembro
Frutificação: Abril – Julho
Altura média: 20 a 30 metros
Diâmetro do tronco: 40 a 60 cm.
Características: Casca suberosa e fissurada. Possui uma grande durabilidade e resistência, podendo ser cultivada desde solos com pouca fertilidade até solos alagados.
Utilidades comerciais: Fabricação de móveis finos, construção civil e naval.

Por ter um grande retorno financeiro, o Instituto Brasileiro de Florestas – IBF – foca há mais de 5 anos na produção do Guanandi, espécie genuinamente brasileira.  O conceito trabalhado pelo IBF é comprovar a viabilidade do cultivo de uma espécie florestal nativa, com qualidades superiores as exóticas tradicionalmente cultivadas (pinus, eucalipto e teca).
Retorno financeiro
O Guanandi se tornou o centro das atenções nos últimos anos e muito se pergunta sobre esse sucesso. Porque uma árvore com características, visualmente, parecida a outras espécies está sendo tão comentada?

A resposta é simples: retorno financeiro e adaptação.  O cultivo para fins comerciais é demorado, pois o período de corte é de 18 anos, equivalendo a um investimento de longo prazo.

No IBF as mudas podem ser adquiridas por um preço de R$ 0,55/cada, podendo investir R$ 990,00 em mudas por hectare. Em média a receita bruta gira em torno de R$ 900 mil por hectare.

Estima-se quem em 1 hectare com 1.500 mudas, nos primeiros seis anos ocorre o 1º corte, retirando 500 plantas para fabricação de lenhas. Os próximos dez anos ocorrerão o 2º corte com mais 500 árvores, essas poderão ser usadas como madeira fina. Permanecem as 500 melhores, que no período de 18-20 anos produzirão 400m² de madeira nobre.

Madeira
Considerada a primeira madeira de lei brasileira possui características peculiares, como a resistência, facilidade de adaptação tanto do solo quanto do clima da região, além de não sofrer com o apodrecimento se imersa na água, podendo ser encontrada em mangues e utilizada para construções de broas de navios.

As espécies de árvores para reflorestamento estão ganhando proporções internacionais, sendo adquiridas por investidores europeus, japoneses e americanos, devido à legalidade da árvore frente ao corte e comércio. O Guanandi possui vantagem em relação às outras espécies também nesse quesito, comércio exterior, por ser uma madeira nobre, usada em madeireiras de alto padrão e por ser encontrada e cultivada em qualquer região brasileira, transformando a madeira bruta em um futuro item de commodity brasileira.

Sementes
Outra opção que gera lucro é a coleta de sementes, que pode ser realizada em um período de 4 anos após o plantio. A coleta é feita, geralmente, com as sementes no chão, porém é preferencial que seja realizada quando ainda estão na árvore, podendo ser semeada diretamente, não havendo a necessidade de beneficiamento do fruto. Um kg de frutos possui 160 sementes.

O site do Click Mudas possui disponível a venda das sementes contendo em 1 pacote de 1kg com 400 sementes de Guanandi (Calophyllum brasilieneses) beneficiadas e selecionadas com qualidade exigida pelo IBF.

O IBF possui um sistema de aquisição das sementes, na qual coletores as enviam para o nosso viveiro, sem pagar o frete. Tornando a coleta de sementes um investimento familiar.

Onde comprar?
Todos os viveiros associados ao IBF passam por um rígido controle de qualidade técnica e fitossanitária, mantendo o padrão de seus produtos, com tratamentos diferenciados e substratos específicos. Utilizando tubetes plásticos retornáveis com volume de 110 a 290 ml, apresentando estrias laterais favorecendo o direcionamento das raízes para baixo, ressaltando que a produção em saquinhos não é mais utilizada, devido a proibições legais em alguns Estados e o comprometimento do crescimento decorrente do processo chamado “enovelamento das raízes”.

As mudas e sementes podem ser compradas no site do Click Mudas, com a devida gestão de qualidade exigida pelo IBF, com rapidez, praticidade e segurança.
Guanandi x Teca x Mogno x Eucalipto x Pinus

 

O diferencial do Guanandi em relação às outras espécies de madeiras concorrentes é por ser nativa do Brasil e adaptável a qualquer solo e clima, fazendo com que seja a mais vantajosa para o meio ambiente, a biodiversidade e comercialmente.

A Teca apenas se desenvolve em regiões mais quentes, principalmente em Mato Grosso, não sendo possível o plantio em outras regiões devido questões climáticas.  O Mogno é atacado no mundo inteiro pela praga Broca das Meliáceas (Hypsipyla grandela Zeller), causando deficiência no crescimento e pouco investimento na madeira. Eucalipto e Pinus são madeiras excelentes para celulose e papel, mas inferior ao Guanandi para movelaria fina, que foi considerada a primeira madeira de lei do Brasil.

Atualmente, houve o aumento na procura do Guanandi, pois para os investidores futuramente esse será um tesouro verde, com preços elevados e de grande retorno financeiro.